Direcções

Adaptado para um nível inicial A2

Tema:
Direcções

Léxico e conversação
; Teoria gramatical


"Olhe, desculpe... Por acaso pode dizer-me onde fica o centro cultural?"
In. Gato Fedorento

Quando estamos perdidos, é sempre útil perguntar a alguém como podemos chegar ao destino que procuramos. Em português, há várias formas de pedir indicações.

Ex: Por favor! Pode indicar-me o caminho para o Museu de Arte Antiga?
Desculpe
(interrompê-lo). Sabe o caminho para a estação de comboio?
Sabe como posso chegar ao hospital mais próximo?
Dizia-me como ir para Belém?
Estou à procura de um café com o nome de "Mil-folhas". Sabe como posso lá chegar?
Sabe onde fica a farmácia?



Como estamos a pedir a alguém indicações para chegar a um destino, utilizamos palavras neste campo semântico:

Pode dizer(-me)(...)
Podia dizer-me (...) [forma mais polida de pedir]
(...) como chegar a(...);
(...) como ir para(...)
Procuro (...)
Sabe onde fica (...)



O destino pretendido não deve ser esquecido (complemento directo). Podemos estar à procura de uma rua, estabelecimento, lugar, instituição, etc..

(...) a rua Morais Sarmento. (...) o supermercado "Poupadinho" (...) Torres Vedras. (...) a faculdade de medicina.

A pessoa responde:

É já ao fundo desta rua, à esquerda!
Vire na primeira (rua) à direita.
Siga em frente.
Vá sempre em frente.
Continue até encontrar o banco e depois corte na segunda à esquerda.
Contorne a rotunda e volte para trás.
Procure um parque-infantil à esquerda e estacione aí. O supermercado é mesmo em frente.




Esquerda






Direita




Proibido virar à esquerda.

É proibido virar à esquerda.

Não vire à esquerda!




Frente - Trás



Siga em frente!

Volte para trás!








É obrigatório virar à esquerda!

Vire à esquerda!

Corte à esquerda!

Contorne a rotunda.



Dê a volta na rotunda.








Resumo:

Teoria Gramatical:

Sintaxe
  • V. Poder no pres. do ind. (ou pretérito imperfeito do ind. )+ inf. dizer/indicar + pron.pessoal OI + "o caminho" + prep "para" (...)
Ex: Podem indicar-nos o caminho para(...)
Podia dizer-me o caminho para (...)

Pretérito imperfeito do indicativo (pret. imp. do ind.)

(com infinitivo em -ar)

(Eu) indicava
(Tu) indicavas / (Você) indicava
(Ele) indicava
(Nós) indicávamos
(Vos) indicáveis (em desuso)
(Eles) indicavam

(com infinitivo em -er e -ir)

(Eu) podia
(Tu) podias /(Você) podia
(Ele) podia
(Nos) podíamos
(Vós) podíeis (em desuso)
(Eles) podiam

  • Preposição "a" + artigo definido "a" = "à" (contracção da preposição a e do artigo a)
Ex: Virar à esquerda.
Cortar na segunda à direita.
Proibido virar à direita.

OBS. Aqui o valor da preposição a é de movimento, de direcção a um limite no espaço, em oposição ao limite no tempo (ex. Vejo-te daqui a uma semana) ou de noção (ex: O dia de hoje está a ir de mal a pior)
  • V. Saber no pres. do ind. (ou pretérito imperfeito do ind. )+ "onde" (adverbio circunstancial de lugar)+ forma da 3º pessoa do singular do presente do indicativo do verbo "ficar"( "fica") (...)
Ex: Sabe onde fica a esquadra?


Presente do Indicativo do verbo Saber (Verbo irregular em -er)


(Eu) sei
(Tu) sabes / (Você) sabe
(Ele) sabe
(Nós) sabemos
(Vos) sabeis (em desuso)
(Eles) sabem

Exercício:


  • "Como se chama o primeiro rapaz à tua esquerda e a segunda rapariga à tua direita?"
In. PIRES, Lídia: Práticas Pedagógicas - Reorganização Curricular do Ensino Básico - 1º. Ciclo, Edições Nova Gaia, Maia, 2006

  • Usando o mapa ao lado
a) Imagine que você está junto à Torre Vasco da Gama.

a.1) Como é que pode chegar ao IPJ de Moscavide?

a.2) Como chegar à gare do Oriente?
  • Faça correspondência das palavras aos seguintes conceitos:
  1. "corporação que engloba os órgãos destinados a fazer cumprir esse conjunto de leis e disposições" In. Houaiss: o Dicionário Electrónico, v.1.0, 2001
  2. "estabelecimento onde se vendem medicamentos (industrializados ou de manipulação), substâncias para uso terapêutico, produtos, objectos e instrumentos de higiene, toilette e perfumaria" Ibiden
  3. "grande estabelecimento comercial de auto-serviço onde se exibem à venda mercadorias variadas (géneros alimentícios, artigos para limpeza doméstica e higiene pessoal, bebidas, artigos para a casa etc.)" Ibiden
  4. "estabelecimento ou sociedade mercantil de crédito, que tem por objectivo principal receber depósitos de dinheiro em conta-corrente, aplicar capital, realizar empréstimos, efectuar cobranças, operar em câmbio etc." Ibiden
  5. "estabelecimento próprio para internação e tratamento de doentes ou de feridos" Ibiden
  6. "estabelecimento público ou privado onde se ministra ensino colectivo" Ibiden
  7. "órgão, ger. público, de medicina social, que desempenha funções profilácticas e preventivas no campo da saúde; posto de saúde" Ibiden
  8. "sala, estabelecimento destinado à prática da cultura física ou de desporto, frequentado com acomodações para plateia" Ibiden
  • "Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F).
  1. Na Av. Miguel Bombarda, de 30 de Abril a 7 de Maio, não se pode circular de carro durante a noite.
  2. Vão reparar o pavimento da Rua Alfredo da Costa."
    In. Teste de conhecimento de língua portuguesa (maiores de 15 anos), 14 de Abril de 2007
  • Ouça o dialogo A e complete os espaços em branco.


Desculpe! __________________ é que ___________________ o hotel Lisboa?
O hotel Lisboa ______________ ali, ao _____________ da pastelaria.
Obrigado!
_________________________
  • Ouça o diálogo B e faça a mesma pergunta de uma outra forma:

Desculpe. Podia dizer-me onde há um supermercado?
________________________________________________________
  • Onde fica o supermercado?
  • Em relação ao diálogo B, porque é que, no fim, a pessoa que fez a pergunta diz: "Muito obrigada!"

Profissões

Adaptado para um nível inicial A2

Tema:
Profissões

Léxico e conversação



O Serguei veio da Bulgária para trabalhar em Portugal, na construção civil. Ao princípio, não era nada daquilo que imaginou, pois, na sua terra, ele era engenheiro topógrafo e em Portugal ele veio trabalhar com a função de servente de obra. Mas, trabalhar em Portugal dava-lhe a possibilidade de ganhar quase três vezes mais do que poderia ganhar em Pleven, a sua terra natal.
O seu contrato era de um ano e ele obteve o visto durante esse período. Mas, após um duro período de adaptação, pois teve de aprender um pouco da língua, e não tinha muitos amigos, ele foi conseguindo novos contratos e prolongamentos do visto.





No terceiro ano de residência, ele teve a oportunidade de trabalhar como motorista de pessados. E durante um ano e meio, ele conheceu Portugal de lés a lés, e foi aí que ganhou uma grande paixão por este país. Por esta altura ele já falava um português razoável e um dia em Leiria ele conheceu a Patrícia. Ela era uma jovem auxiliar de acção educativa que também engraçou com o jovem búlgaro. Com a ajuda dela, ele conseguiu um novo emprego em Leiria, como carteiro.



Ser carteiro tinha lados positivos e lados negativos mas, mesmo assim, foi o trabalho que Serguei mais gostou de ter, até agora. Anda-se muito, mas só trabalha no período da manhã, e agora está a tirar um curso de Português ao fim da tarde, para poder candidatar-se à nacionalidade e, à noite, está a tirar um curso de técnico de informática. Se tudo correr bem, espera poder pedir a mão da Patrícia em casamento, dentro de um ano.



A vida tem destas coisas: às vezes nunca se sonha com a profissão que se vem a ter e, às vezes, uma pessoa é obrigada a mudar de profissão de um momento para o outro. E há tantas profissões que é uma lista interminável.

Agora que conheces algumas profissões, queres tentar enumerar mais cinco que ainda não tenham sido mencionadas?

E tu que profissão gostarias de ter quando eras pequeno? E agora, o que gostarias de ser? O que é que pretendes fazer para obter os teus objectivos?

Exercícios:
  • "Leia os anúncios do quadro A (a-d) e os anúncios do quadro B (1-4). Faça a correspondência entre os anúncios do quadro A (procura) e os anúncios do quadro B (oferta).
Quadro A
Quadro B

In. Teste de conhecimento de língua portuguesa (maiores de 15 anos), 14 de Abril de 2007

  • Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F).
  1. Este curso decorre durante o horário de trabalho.
  2. O curso começa entre 15 de Julho e 15 de Agosto.
In. Teste de conhecimento de língua portuguesa (maiores de 15 anos), 10 de Novembro de 2007
  • "Leia o texto e responda às questões 1-5. Assinale a resposta certa com um X.
Exmos. Senhores:

Venho por este meio responder ao vosso anúncio para o lugar de empregada de mesa e de balcão. Sou moldava e tenho 20 anos. Vivo em Portugal há dois anos, mas os meus pais já cá vivem há seis anos.

Quando cheguei, comecei a estudar português à noite. No princípio, foi muito difícil, mas penso que agora já falo e compreendo bem o português. Além de moldavo e de português, também falo bem inglês e estudei francês durante um ano. Na Moldávia terminei o ensino secundário e este ano comecei a estudar Economia, à noite, numa Universidade em Lisboa.

Já trabalhei como empregada de mesa num restaurante e agora estou a trabalhar numa pastelaria num centro comercial, mas não consigo conciliar o meu horário de trabalho com os estudos.

Gostava de trabalhar na vossa pastelaria/restaurante porque o vosso horário de trabalho me permite continuar a estudar na Universidade, sem problemas, pois as aulas só começam às 18:30. Além disso, o facto de ter o domingo livre é muito conveniente para mim. Penso que tenho o perfil adequado para o lugar uma vez que já tenho alguma experiência profissional e sou uma pessoa muito activa.

Envio, em anexo, o meu currículo e aguardo o vosso contacto. Estou disponível para uma entrevista e posso começar a trabalhar a partir do final deste mês.

Sem outro assunto, atenciosamente,
Raina
  • 1. A Raina

A. fala fluentemente francês.
B. fala várias línguas.
C. compreende bem o português, mas fala mal.
  • 2. Quando a Raina veio para Portugal,
A. os pais ficaram na Moldávia.
B. não tinha cá ninguém de família.
C. os pais já cá viviam.
  • 3. Quando chegou a Portugal, a Raina
A. começou a estudar português.
B. terminou o ensino secundário.
C. começou a estudar na Universidade.
  • 4. A Raina gostava de trabalhar neste restaurante/pastelaria
A. principalmente por causa do horário de trabalho.
B. porque não tem trabalho.
C. por causa do salário.
  • 5. A Raina quer trabalhar como empregada de mesa
A. para ter o sábado e o domingo livres.
B. pela primeira vez.
C. e estudar ao mesmo tempo.
"
In.
Teste de conhecimento de língua portuguesa (maiores de 15 anos), Ibiden

  • "Leia o texto e responda às questões 1-5. Assinale a resposta certa com um X.

Olga chegou há 7 anos a Portugal. Tinha apenas 20 anos. Ficou um mês em Lisboa e depois foi morar para Alcobaça, a norte de Lisboa, para casa de uns amigos. A língua foi a primeira dificuldade, mas estudou com muita energia. “Esforcei-me muito. Primeiro estudei sozinha e depois fiz um curso de português, durante três meses. As aulas eram ao sábado à tarde e ao domingo de manhã. Foi cansativo, mas aprendi muito.”, recorda. No mês passado, concluiu com êxito a prova de língua portuguesa e agora vai pedir a nacionalidade portuguesa. Já tem o certificado e todos os outros documentos necessários. Só falta chegar o mês de Abril, altura em que completa o tempo mínimo exigido de residência legal no país, seis anos. A situação profissional nem sempre é boa, mas Olga acha que não se pode queixar. No Verão, vai passar as férias na Ucrânia. E estas férias são muito especiais: “Vou casar”, diz com muita alegria. Depois vem com o marido para Portugal e quer ter uma família grande. "Ele está com um bocadinho de medo, mas sei que vai gostar. O clima é bom." O futuro marido já começou a aprender português. “Depois do casamento, eu vou ser a professora dele. Tudo vai correr bem!”.
  • 1) Quando Olga veio para Portugal,
A. viveu 7 anos em Lisboa.
B. viveu um mês em Lisboa.
C. ainda não tinha 20 anos.
  • 2) Olga teve aulas de português
A. todos os dias da semana.
B. apenas uma vez por semana.
C. dois dias por semana.
  • 3) Olga tem todos os documentos necessários
A. para pedir o título de residência em Portugal.
B. para pedir a nacionalidade portuguesa.
C. para pedir visto de permanência.
  • 4) A situação profissional
A. é muito boa.
B. não é sempre igual.
C. é muito má.
  • 5) Olga
A. casou no Verão passado.
B. vai casar este Verão.
C. é casada há muito tempo."
In. Teste de conhecimento de língua portuguesa (maiores de 15 anos), 14 de Abril de 2007






  • Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F).
  1. Aos domingos e feriados a Loja do Cidadão está fechada.
  2. A Loja do Cidadão abre todos os dias à mesma hora.
In. Teste de conhecimento de língua portuguesa (maiores de 15 anos), 10 de Novembro de 2007

Verbo Ir + preposição de / a / para / por

Adaptado para um nível inicial A1/A2

Tema:
Verbo Ir + preposição de / a / para / por

TEORIA GRAMATICAL:


Verbo Ir

Pres. do Indicativo

Verbo "Ir"


eu vou
tu vais
ele/ela vai
nós vamos
vós ides
eles/elas vão


Em relação ao verbo ir deve-se dizer que as formas do pretérito perfeito do indicativo e as formas derivadas deste tempo[1] coincidem com as formas correspondentes do verbo ser. Assim temos, para falar de um passado concluído:

Pretérito Prefeito

do Indicativo

Verbo "Ir"


eu fui
tu fostes
ele/ela foi
nós fomos
vós fostes
eles/elas foram



[1] Deste tema forma-se também o mais-que -perfeito do indicativo, o imperfeito do conjuntivo e o futuro do conjuntivo

Ir + preposição de [meio]



Ir + preposição a [destino]

Normalmente o verbo ir seguido da preposição a, significa ir, movimentar-se para um determinado destino. Mas repare-se nas outras significações:

"A

Movimento= direcção a um limite:
a) no espaço: (...)

[Vou a Tomar
Vou a casa
Vou ao Porto]


b) no tempo:(...)

[Fui à hora marcada.]
[Vou a cem à hora]


c) na noção:(...)

[Vão à toa.]


2. Situação=coincidência, concomitância:

a) no espaço:(...)



b) no tempo:(...)

[Vou à tardinha]


c) na noção:(...)

[vou a cantar]"

In. In. CINTRA, Luís F. Lindley; CUNHA, Celso: Nova gramática do Português Contemporâneo, Lisboa, Edições João Sá da Costa, 1997, pp. 558-559 [excepto imagens]


Ir + preposição para [direcção]

"Para
Movimento= tendência para um limite, finalidade , direcção, perspectiva. Distingue-se de a por comportar um traço significativo que implica maior destaque do ponto de partida com predominância da ideia de direcção sobre a do término do movimento:

a)no espaço: (...)
b) no tempo:(...)

[- E quando vais? - Vou para o outro fim de semana.]


c) na noção: (...)

[Vá para o inferno!]

". Ibiden p.567 [excepto imagens]



Ir + preposição por [percurso]


"Por
Movimento= percurso de uma extensão entre limites, através de, duração:

a) no espaço 1(...)
(...)
c) na noção

[Espero que não esteja a ir por maus caminhos]


Situação= resultado do movimento de aproximação a um limite:

a)no espaço: (...)

b) no tempo:(...)

[Vou pelo amanhecer.]

c) na noção: (...)

[Fui por acaso. / Vou por ele.]".
Ibiden, pp. 569-570 [excepto imagens]

[1] Também, noutros contextos, no tempo e na noção


Consulte a listagem das contracções das preposições "a", "de", "em" ou "por", com os artigos definidos e indefinidos aqui. Veja com atenção as formas combinadas.


Exercícios:
  • A frase da imagem à esquerda refere-se a uma situação:
  1. movimento para um destino
  2. movimento por um percurso
  3. movimento numa direcção
  • Coloque a frase da imagem à esquerda na primeira pessoa do plural.



  • Complete os espaços em branco, utilizando a preposição adequada:
Sempre que vou ______ Lisboa, aborreço-me na viagem. Se vou ____ carro, vou ____ IC19 e apanho muito trânsito, indo ____ passo de caracol. Se vou _____ comboio, apanho a hora de ponta e vou em pé. Se for ___ camioneta, tenho de ir _____ Belém e demoro ainda mais a chegar ao centro da cidade. Por isso evito ir ____ Lisboa, e prefiro ir _______ Sintra, onde trabalho e faço quase tudo o que faria em Lisboa. Dica: lembre-se que as preposições contraem com os artigos a, o, as, os.
  • Distinga os sentidos das frases que se seguem.
  1. O Jesualdo está a ir por maus caminhos.
  2. O Cristiano está a ir por Santarém.
  3. Eu vou por onde o meu coração me manda.
  4. Eu vou por Almada.
  5. Eu vou por volta das cinco da tarde para casa.
  • Complete as frases, preenchendo os espaços em branco.
A Sandra vai _____ casa. Mas antes, ela tem de ir _____ ________, comprar carne para o jantar. Como não tem dinheiro, ela vai _____ ________ levantar dinheiro e só depois vai _____ compras. Depois ela ainda vai _____ camioneta, para buscar o seu filho ____ ________. Depois vão_____ pé até ao apartamento deles.



  • Escreva uma frase que indique a sua intenção de usar os bilhetes de um concerto, com o verbo "Ir" e a preposição adequada.

O humor de Bocage

Adaptado para um nível inicial A2

Tema:
O humor de Bocage

Compreensão oral e conversação
:




Programa "Levanta-te e ri": Marco Horácio a comparar Bocage e Quim Barreiros (2:40)

Exercício:

Depois de ver o vídeo do pregrama "Levanta-te e ri", responda às seguintes questões:

Onde está Marco Horácio?
Para quem está Marco Horácio a falar?
Que tipo de programa é este?
De quem é que Marco Horácio está a falar?
Onde está Marco Horácio?
O que fazia Bocage?
O que fez a namorada do Marco Horácio quando ele lhe leu o poema de Bocage?
O que aconteceu ao seu amigo para que ele conforta-se-o ao ler o poema "Não lamentes Alcino o teu estado"?
Como podem usar os jovens os poemas de Bocage, segundo Marco Horácio?
O que pode acontecer a uma pessoa que recite estes poemas?


Para que possas ler os poemas completos:

Cagando estava a dama mais formosa,
E nunca se viu cu de tanta alvura;
Porém o ver cagar a formosura
Mete nojo à vontade mais gulosa!

Ela a massa expulsou fedentinosa
Com algum custo, porque estava dura;
Uma carta d'amores de alimpadura
Serviu àquela parte malcheirosa:

Ora mandem à moça mais bonita
Um escrito d'amor que lisonjeiro
Afetos move, corações incita:

Para o ir ver servir de reposteiro
À porta, onde o fedor, e a trampa habita,
Do sombrio palácio do alcatreiro [1]!

***

Não lamentes, Alcino, o teu estado,
Corno tem sido muita gente boa;
Corníssimos fidalgos tem Lisboa,
Milhões de vezes cornos têm reinado.

Siqueu foi corno, e corno de um soldado:
Marco Antonio por corno perdeu a c'roa;
Anfitrião com toda a sua proa
Na Fábula não passa por honrado;

Um rei Fernando foi cabrão famoso
(Segundo a antiga letra da gazeta)
E entre mil cornos expirou vaidoso;

Tudo no mundo é sujeito à greta:
Não fiques mais, Alcino, duvidoso
Que isto de ser corno é tudo peta.

***

Vem cá, minha Marília, tão roliça,
So'as bochechas da cor do meu caralho,
Que eu quero ver se os beiços embaralho
Co'esses teus, onde amor a ardência atiça:

Que abrimentos de boca! Tens preguiça?
Hospeda-me entre as pernas este malho,
Que eu te ponho já tesa como um alho;
Ora chega-te a mim, leva esta piça...

Ora mexe... que tal te sabe, amiga?
Então foges c'o sesso? É forte história!
Ele é bom de levar, não, não é viga.

"Eu grito!" (diz a moça merencória[2]).
Pois grita, que espetada nesta espiga
Com porrais salvas cantarei vitória.




" [1] que tem grandes alcatras ('nádegas'); bundudo
[2] m.q. melancólico
" In. Instituto Antônio Houaiss, Houaiss: Dicionário Eletrônico, v. 1.0, Editora Objectiva, Ltda, 2001

Verbo "Estar" + preposição "a" + infinitivo (e outras locuções verbais)

Adaptado para um nível inicial A1/A2

Tema:
Verbo "estar" + preposição "a" + infinitivo (e outras locuções verbais)

TEORIA GRAMATICAL:

"1. Os conjuntos formados de um verbo auxiliar com um verbo principal chamam-se LOCUÇÕES VERBAIS. Nas LOCUÇÕES VERBAIS conjuga-se apenas o auxiliar, pois o verbo principal vem sempre numa das formas nominais: no PARTICÍPIO, no GERÚNDIO ou no INFINITIVO IMPESSOAL

2. Os AUXILIARES de uso mais frequentes são ter, haver, ser e estar. (...)

Estar emprega-se: (...)

b) com o GERÚNDIO, ou com o INFINITIVO do verbo principal antecedido da preposição a, para indicar uma acção durativa, continuada:


Estava ouvindo música

Estava a ouvir música (...)


Distinção importante

A construção de estar (ou andar) + GERÚNDIO, preferida no Brasil, é a mais antiga no idioma e ainda tem vitalidade em dialectos centro-meridionais de Portugal (principalmente no Alentejo e no Algarve), nos Açores e nos países africanos de língua portuguesa.
No português padrão e nos dialectos setentrionais de Portugal predomina hoje a construção, de sentido idêntico, formada de estar (ou andar) + PREPOSIÇÃO a + INFINITIVO, que aparece, uma vez por outra, na pena de escritores brasileiros." In. CINTRA, Luís F. Lindley; CUNHA, Celso: Nova gramática do Português Contemporâneo, Lisboa, Edições João Sá da Costa, 1997, pp. 393-394


Tal como o verbo "estar " + prep. "a" + V. Infinitivo, existem outros verbos que também podem ser considerados como auxiliares para além dos quatro anteriormente referidos. Assim "acabar","andar", "ficar","ir","vir", e outros quando unidos a um infinitivo funcionam como auxiliares:
O verbo "acabar" + prep. "de"+ infinitivo usa-se para mostrar o fim de uma acção (aspecto conclusivo)
Cf. V. "terminar" ou V. "deixar"

O verbo "ficar"+ prep. "a" + infinitivo indica uma acção rotineira, tal como "estar a"+ infinitivo, mas mais longa que esta.





O verbo "andar"+ prep. "a" + infinitivo indica "(...) uma acção durativa, continuada" In. CINTRA, Luís F. Lindley; CUNHA, Celso: Nova gramática do Português Contemporâneo, Lisboa, Edições João Sá da Costa, 1997, pp. 396




O verbo "ir"+ infinitivo usa-se para mostrar intenção em realizar determinado acto num futuro próximo.





O verbo "ir"+ gerúndio ou o verbo "vir"+ gerúndio serve para indicar uma acção que se vai desenvolvendo gradualmente ou por etapas sucessivas






O verbo "vir"+ infinitivo usa-se quando se quer mostrar a intenção em realizar um acto ou mostrar movimento em sentido de um determinado fim.





O verbo "vir" + prep. "a" + infinitivo usa-se para exprimir o resultado de uma acção




O verbo "costumar" + infinitivo usa-se para referir uma acção habitual, com uma duração descontínua e ilimitada.








O verbo "continuar"+ prep. "a"+ infinitivo usa-se para referir uma acção em curso, em pleno desenvolvimento; já quando utiliza a preposição "por", na mesma estrutura, exprime uma acção não acabada. Ex: "Os pratos continuam por lavar."


Exercícios:
  • Utilize o verbo "estar" e a preposição "a" nas frases:
Eu ______________ cansada.
Eu ______________ cantar rap.
Tu______________ sorrir.
Tu _____________ pedir desculpas.
Você ____________ bonito e elegante.
Ele _____________ bem de saúde.
Ela _____________ correr perigo.
Nós _____________ gritar por socorro.
Nós _____________ juntos de novo.
A gente __________ praticar português.
Eles _____________ a começar a aula sem nós.
Elas _____________ prontas para começar.

  • Utilize as formas auxiliares que aprendemos ("acabar"; "andar"; "continuar"; "costumar"; "estar"; "ficar"; " "ir"; "vir") para dar sentido ao texto (atenção que utiliza tempos do passado):
De noite, eu ________ a ler durante meia hora até dar-me sono. A semana passada ________ de ler um livro de contos do Eça de Queiroz. Eu _______ a querer ler um livro deste autor, mas ______ sempre a ler outros livros. Depois de o ler _____ a pensar em ler um romance maior. Pede ser o faça brevemente. Agora _______ a ler uns poemas no comboio e ______ a escrever postais para a família. Eu _______ ter sempre tempo para ler um pouco antes de dormir, mas agora ando tão cansado que, assim que chego à cama, _______ logo dormir.


  • Em relação à frase, em baixo, ilustrada diga:
a) Qual o valor da locução verbal.
b) Quem acabou de adormecer.
c) O que estavam eles a fazer antes.


Complete:

Os coelhos _______ adormecendo lentamente.






Gerúndio

Adaptado para um nível inicial A2

Tema: Verbos na forma de Gerúndio

TEORIA GRAMATICAL:


O gerúndio tem duas formas: a forma simples e a forma composta.

A forma simples obtém-se substituindo-se o sufixo -r do infinitivo pelo sufixo -ndo, isto é, mantendo a vogal temática.

Ex: ama-ndo; corre-ndo; fugi-ndo


Utiliza-se para se referir de uma acção em curso e que tanto pode acontecer imediatamente anterior ou posteriormente, assim como simultâneamente, ao verbo da oração principal. Depende da sua ordem sintáctica:

Ex:

Acabando o trabalho, suspiramos de alívio.
Querendo repetir, pedi mais comida.















Vi
soluçando o filme, comovida.
Chamou gritando por seu nome.

























Apressamos o passo,
andando rapidamente.
Confidenciou o segredo, contando todos os detalhes.
















A forma composta utilizando a forma do gerúndio do verbo "ter" ou "haver" com o particípio do verbo principal. Esta forma mostra uma acção que foi concluída antes do verbo principal da frase.

Ex:
Tendo consentido a sua saída, ela telefonou às amigas.
Havendo conseguido o que queria, saiu satisfeito.






















Exercício:

  • Atente ao poema de Vinício de Morais e sublinhe o verbo na forma de gerúndio
O Velho e a flor

Por céus e mares eu andei
Vi um poeta e vi um rei

Na esperança de saber o que é o amor

Ninguém sabia me dizer

E eu já queria até morrer

Quando um velhinho com uma flor assim falou:
O amor é o carinho

É o espinho que não se vê em cada flor

É a vida quando

Chega sangrando

Aberta em pétalas de amor
Para ouvir:


  • Em relação à imagem que se segue transforme a frase, substituindo o verbo na forma de gerúndio pelo verbo lavar, também no gerúndio.

  • Complete os espaços em branco, utilizando os verbos sugeridos em baixo, na forma do gerúndio.
Adoro passar tempo com os miúdos. Não há nada melhor que ficar _________ de mão dada com eles, ou vê-los _________ com a areia da praia no Verão. Ou ver os seus rostos ________ de alegria quando chego a casa, _________ de imediato para os seus quartos, para me mostrarem a sua nova brincadeira. Infelizmente, nem sempre tenho tempo para eles e ________ não poder estar sempre à sua disposição, mas tenho outros afazeres. No entanto, sei que enquanto não estou com eles, eles ficam __________ novas brincadeiras para me mostrarem. Não ________ correr o risco de mentir, acho que nunca fui tão feliz.

Arrastar; brincar; inventar; lamentar, passear; querer; sorrir.